O Administrador de Banco de Dados terá lugar no futuro?

Esse título foi publicado na CIO em 22/02/2017, quase 2 anos depois como ficaram as previsões do autor Gerardo Dada? Passado esse tempo, resolvi escrever contando o que mudou e o que, provavelmente, vai mudar na carreira do DBA.

Depois de um bom tempo como DBA posso afirmar que o perfil desse profissional já mudou diversas vezes. Mas será que ele tem lugar garantido no futuro da computação cercada de zettabytes de informações armazenadas nas mais variadas formas para serem consumidas?

Se você é DBA não se preocupe pois não vai faltar trabalho, mas…. você precisa se adaptar a realidade. Esse é o ponto-chave: Se adaptar. Para isso você tem que entender a regra do jogo e dedicar um tempo para estudar e aprender.

Um dos 3 desafios citados no artigo do Gerardo é que o DBA precisa entender que a tecnologia da informação está mudando para um modelo centrado em aplicativos. O que isso quer dizer? No coração da grande maioria dos aplicativos está um banco de dados. Não importa qual; ele existe e está lá cumprindo o seu papel. Nesse novo modelo, todo banco de dados precisa ter uma excepcional performance e alta disponibilidade. Não tem mais espaço para aquela conhecida frase de call-center: “O sistema está fora do ar, ligue mais tarde por favor. Obrigado!”.

Faça uma reflexão: pegue seu smartphone e analise cada aplicativo. O que seria dele sem um banco de dados?

Claro que ainda teremos durante muitas décadas o modelo tradicional de banco de dados voltado para grandes negócios e volume de dados (bancos, INSS… você não pensou que isso seria jogado fora ou deixado de lado, correto?). Faz pouco tempo uma pessoa da minha rede de contatos no LinkedIn escreveu um post que estava preparando um ambiente na empresa com uma versão do banco de dados lançada em 2000. É o legado que sempre existiu e sempre vai existir. Ou você acredita que as operações financeiras envolvendo sua conta corrente rodam em que ambiente?

O próximo desafio é suportar várias plataforma de banco de dados. Não é de hoje que DBAs conhecem dois ou mais bancos de dados. Pela minha experiência são poucos que realmente conhecem profundamente dois ou mais bancos. Aprender o segundo banco de dados é sempre mais dificil, quando vem o terceiro é um pouco menos dificil. Mas atenção! Não caia na tentação de querer ser especialista em mais de um. 

A regra do jogo, na minha visão, é ser muito bom em um deles e conhecer os demais. Em algum projeto vai aparecer outro banco de dados além daquele que você domina. E aí o que você faz? Joga a toalha e desiste? Estude! Pesquise! Siga em frente… Esteja pronto para mais um desafio.

Chegou a hora de falar em Cloud Computing. É uma realidade; quem apostou lá atrás está colhendo os frutos. Faz tempo que deixou de ser “uma alternativa viável”, Para você ter uma idéia, TODA startup que está desenvolvendo um aplicativo já nasce na nuvem. Para empresas que estão no modelo on-premisse e ainda não partiram para a nuvem, fica uma dica: Pense rápido, planeje e… siga em frente. Não estou falando para você pegar seus bancos de dados e jogar para a nuvem sem um projeto. Longe disso, mas não desconsidere fazer essa transição o mais breve possível se ainda não está fazendo.

Você como DBA tem a obrigação de conhecer e suportar ambos os ambientes: on-premisse e Cloud Computing. Não importa qual ou quais os fornecedores.

A realidade, nos dias atuais, exige que você estude as opções de Cloud Computing disponíveis. Aqui vou falar de fornecedores: você pode ter Oracle rodando em Linux no Microsoft Azure. Ou SQL Server rodando em Windows Server na Amazon AWS.

Existem diversas variantes que podemos montar como um lego, por exemplo para o pessoal de startup: MongoDB no Microsoft Azure. Algo considerado quase impossível a alguns anos atrás, mas hoje é realidade. E como DBA é seu dever estar por dentro disso tudo para escolher a melhor opção seja para sua empresa ou seu cliente, seu papel nessa engrenagem tem de ser estratégico e não apenas técnico.

Sendo assim, temas como Cloud Computing (SaaS, PaaS, IaaS, DBaaS…), NoSQL, Big Data, Arquitetura de Dados, entre outros, devem fazer parte do seu dia-a-dia. Consuma artigos de qualidade sobre esses e outros temas relacionados. Procure o novo, aumente seus conhecimentos.

Seguindo essas dicas você vai se manter relevante na carreira e, consequentemente, alcançar os resultados desejados e o mais importante: Não ficar obsoleto (o maior medo de todo profissional de qualquer área).