Será que minha empresa precisa de um DBA?

Depois que escreví um artigo falando sobre a profissão do Administrador de Banco de Dados (DBA), algumas pessoas me enviaram mensagens perguntando como identificar se a empresa em que trabalham realmente precisam desse profissional. O artigo ficou mais voltado para o pessoal técnico, agora irei abordar mais pela visão do empreendedor e do executivo de TI. Ou de outro profissional que precisa de alguém para cuidar do banco de dados da sua empresa.

Existem diversos modelos de contratação de um DBA: CLT, consultor independente, empresas que terceirizam todo o departamento de TI ou parte dele, empresas especializadas em oferecer serviços de administração de bancos de dados, etc… Mas qual modelo melhor se adequa a sua empresa? Ao seu negócio?

O regime de contratação CLT garante que você terá um profissional dedicado a atender sua empresa e demandas que ela gera em relação ao banco de dados. Portanto, contrate o profissional certo, não selecione alguém da sua equipe de TI e entregue a ele essa atividade. Provavelmente você vai sobrecarregar mais ainda esse profissional de responsabilidades e muitas das vezes ele não tem interesse e perfil para assumir essa vaga. Se quer promover alguém (muitas das vezes é isso que acontece), solicite a um consultor para avaliar se o profissional tem perfil para ocupar a vaga, se irá precisar de treinamentos e até mesmo de uma mentoria durante um determinado tempo.

Atenção: O conteúdo do banco de dados é o ativo mais importante da sua empresa! Não o entregue na mão de qualquer curioso.

O regime CLT custa caro e um DBA não custa barato. Portanto, avalie bem junto ao seu RH os custos que envolvem a contratação. Desconfie de profissionais baratos mesmo em época de crise. Mas não os descarte antes de uma primeira entrevista técnica. Se você não tem como entrevistá-lo técnicamente, sugiro mais uma vez contratar um consultor para realizar esse processo.

Uma outra opção, seria a contratação de um consultor independente (freelancer) para resolver uma determinada demanda e depois ficar com o contato dele para chamá-lo nas próximas necessidades. O lado bom: Se for um excelente DBA ele vai resolver seu problema, mas atente para o fato que, na maioria das vezes, não vai te atender em horário comercial pois ele pode estar em um projeto full-time ou mesmo ser CLT em outra empresa. Se não for problema para você; é uma boa opção. Sua empresa não tem encargos trabalhistas e possui um profissional para atender as demandas.  Se um dia você precisar de um DBA CLT quem sabe esse consultor independente não pode ser a primeira opção?

Existem excelentes profissionais no mercado, você pode procurar e entrar em contato e montar seu networking para atendê-lo pontualmente.

Empresas especializadas em alocar profissionais de TI podem te atender, mas costumam cobrar caro, portanto você mais uma vez precisa identificar se terceirizar neste modelo é uma boa opção (Custo X Benefício). Geralmente grandes empresas terceirizam a TI e nesse pacote entra o DBA. Eu nunca atuei desta forma, portanto não tenho uma opinião formada se é bom para a contratante e o DBA. Mais uma vez fique atento para a qualidade do serviço entregue.

Você pode pagar por um Sênior e receber um Junior que, na maior parte das vezes, é quem tem menos culpa nesse processo todo.

Uma solução que muitos DBAs encontraram, depois de anos de experiência, foi abrir uma empresa com o foco em banco de dados. Existem diversas no mercado e como principal fator competitivo está a especialização da mão-de-obra. Por ter uma estrutura enxuta, muitas das vezes o próprio empreendedor é que vai atender a sua empresa. Ou seja, como não existe uma empresa intermediando vocês, a qualidade da entrega é alta e os custos são menores. Desconfie de valores muito baixos, lembre-se que uma empresa tem encargos com a Receita, Prefeitura, etc… Não vou citar valores, mas em 99% dos casos cobra-se por hora de projeto ou administração mensal.

Neste modelo, a empresa contratada “quebra” sua carga horária mensal para atender vários clientes. Como assim? Ela identifica sua necessidade e seu ticket mensal (30 horas/mês, por exemplo) e cobra um valor/hora para atender sua empresa durante o mês e o horário definido (pode ser 24×7 ou horário comercial). Na Globalwan atuamos nesse modelo, temos vários tickets e identificamos com o cliente qual melhor atende as necessidades dele. Podemos ter um banco de horas para mais ou para menos, exemplo: Contratado 30/horas mês e utilizado 20 horas pode-se acumular as 10 horas para o próximo mês ou, simplesmente, não pagar as 10 horas.

Na hora de fechar o contrato atente para este fato. Existem “n” variações e encaixar a carga horária correta no início pode ser um pouco dificil. Mas sendo uma empresa honesta, ela vai identificar em pouco tempo sua demanda mensal e vai acertar com você as horas suficientes para atendê-lo.

Nos últimos anos surgiram empresas que atuam 100% remoto, ou seja, se conectam ao seu ambiente e administram seu banco de dados. É uma boa opção, tanto para contratante quanto para a contratada. Você pode ter um excelente profissional te atendendo de outra cidade ou até mesmo de outro país! Com total segurança e qualidade.

Se for uma empresa especializada, procure ver no LinkedIn quem atua nela e veja como andam as recomendações dos profissionais. Por alí você tem uma idéia da qualidade dos serviços que serão entregues. Atente para o contrato de prestação de serviços e o NDA (non disclosure agreement – acordo de não divulgação ou confidencialidade).

A escolha do DBA ideal para sua empresa é uma tarefa dificil. Não fique focado apenas em valores, veja outras variáveis como qualidade do serviço, os profissionais envolvidos (quer algo melhor do que o LinkedIn para ver se o profissional vai te atender bem?), horas contratadas (se for terceirizar), entre outros pontos a serem conferidos.